Author Archives: Olegário, o Operário

MORTE AOS JUDEUS!!1!!!!!

A vida é como uma terrina com sopa. Passas metade do tempo a rir-te da palavra ‘terrina’ e a outra metade a comer a sopa, que já está fria.

Robertos e Gastões, guaxinins doutorados em Germânicas preparam uma invasão por mar, por terra e em Segways lilases! Urge besuntar a peitaça com óleo de girassol!

PILAS! AOS MONTES!

Tena Pants, Tena Pants, no cú do velhote!

O cocó sabe mal, mesmo com molho de pimentão.

(_)              (_)

\/\/\/\/\/\/\/\/\/\/\/\/
MAN UM DINOSSAURO QUE COME FRASES
/\/\/\/\/\/\/\/\/\/\/\/\

O Ataque do Rodovalho Gigante, Parte II – Fernando, o Cherne Mártir

“Foda-se, caralho, se há merda que eu odeie são judeus! O Hitler é que fez bem, foi pena terem sido só 6 milhões… É por causa deles que isto anda assim. E pandeleiros?! Hã? Pandeleiros é que eu não suporto, caralho. Só não desejo que eles vão todos tomar no cu porque isso já eles fazem e sabe-lhes bem, ou o caralho! Aliás, para mim é pandeleiros e comunas, era tudo queimado, como na Inquisição! Puta que os pariu, são esses e os chineses e os ucranianos, que vêm cá roubar-nos os empregos… Fosse eu a mandar neste chiqueiro, fosse eu… Salazar é que era, com ele nada disto se passava!”

2º lugar no Concurso da Misantropia Reaccionária. Perdi para Manuel Lopes, 54 anos, oriundo de Cabeço de Vide.

|| Esta frase está presa porque tem uma incorrecção. ||

Não tem nada, pá! Então não vês? “Epá, tens razão… Onde está a prevaricadora, então?” Está ali, a fugir no barco!

~~~~ \ Tomem lá, seus maganos, não me apanhão! /~~~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
E ainda por cima está a usar o ponto de exclamação sem licença! Depressa, chamem a Brigada do Bom Português! “Não vamos a tempo, ele está a escapar para uma Escola Secundária dos subúrbios!”

Um, Dois, Três, Quatro, Cinco, Seis, Sete, Oito, Nove, Dez, Onze, Doze, Treze, Catorze, Quinze, Dezasseis, Dezassete, Dezoito, Dezanove, Vinte. O meu objectivo de vida é encontrar um comediante que não tenha no reportório uma piada sobre o Clark Kent. Mas eu gosto muito do Guilherme, a sério que gosto… Só que falta-lhe aquele… je ne sais quois, entendes? Aquela essência, aquela aura cativante, que faz nós mulheres ficarmos… Percebes? “Sim, completamente, Eduarda, compreendo o teu ponto de vista” E é por isso que eu decidi resguardar-me e esperar pelo momento e pelo homem certo. Achas que fiz bem? “Acho… Mas olha, amiga, e que tal irmos tomar um cafezinho, hã? Assim para descomprimir…” Não sei, Raquelita, olha que eu estou cheia de trabalho, sabes? “Anda lá, é só um bocadinho…” Vá, pronto, está bem.

Eu gosto muito de anões. Quando for grande quero ser um anão.

– Puto, ganda joke! Que dica, bro! Bacano, curti, curti… Mano, manda mais aí umas dicas pó peeps, ya?

A sério?

– Ya, boy, ’tou a curtir da cena…

Então cá vai: qual é a diferença entre um elefante e um elefante? Um é um elefante, o outro é um mamute disfarçado.

– What?! Tipo, não topei…

– Boy, não curti. Não achei fat, não achei fat, que cena fora…

O CAPS LOCK ESTÁ CHATEADO COMIGO! DESCULPA, CAPS LOCK, EU NÃO VOLTO A USAR O SHIFT!

Pronto.

– Wwwauf, wauf, wauf! Rrrr-wauf! – exclamou Bobi, indignado com a displicência de Traquina. Prontamente Tareco interveio, serenando os ânimos e evitando males maiores, pois, como é sabido, Bobi sempre foi um cachorro afável mas irascível – como se pôde, aliás, verificar no lamentável incidente com Pantufa.

A nova aquisição do Paços de Ferreira…

sem-titulo.jpg

O Avançado-Móvel!

Paraíso = Incesto

Jesus = Filho de Deus

Maria = Mãe de Jesus

Maria = Mãe de Deus

Não há aqui algo que vos soa a estranho?

Penis Jokes Volume I – Sobe isso que não se ouve nada!

Foi-me impingida a prazenteira missão de inaugurar um novo género de post no Pura Estupidez, esse Vítor Espadinha Beethoven dos blogs. Como tal, anuncio com pomba e Circo de Constância a tag ‘Penis Jokes’, dedicada por inteiro ao superlativamente inadjectivável membro viril (ui, se não o é) de Josefa, a Curandeira, vulgo André. É o apanhado de todo um Verão dos membros do blog a matutar num Pénis. Não vos surpreende? Bom, mas este Pénis é diferente. É grande. Gigantesco. Megalómano.
Esperem, estão a ver o Grande Canyon? Nada a ver. Nem em forma nem nada. Totalmente antagónico. Nem a côr. Uma comparação ridícula. Estúpido. Inapropriado. Selvagem. Grotesco. Decadente. Antidemocrá… Sim, sim, eu sei. Ora cá vai:

As estrelas cadentes só acontecem quando André se deita de barriga para cima.

O Pénis de André é tão grande que quando um espermatozóide de lá sai já é adulto e tem o Curso tirado.

André descobriu que a Terra era redonda quando se enrabou a si próprio.

André tem assessores espalhados por todo o mundo que passam os dias a dizer “Com licença.”

André acha o Carnaval uma festividade muito repetitiva, pois só lhe é possível mascarar-se de arco-íris.

Um dia Aristóteles disse: “Dêem-me um ponto de apoio que eu levanto o mundo!”. Ele tinha uma ideia bem definida sobre qual seria esse ponto de apoio…

André tem tantas erecções ao longo do dia que certos países simplesmente desistiram de lhe pedir o passaporte.

André andava com o pénis muito sujo. E então Deus criou os oceanos…

Há uns anos André decidiu ir morar para Paris. E o Eurotúnel foi construído.

O bastão mágico do Son Goku foi inspirado em alguma coisa… Não me lembro é bem o quê…

Um dia, ao visualizar uma foto de Soraia Chaves, André teve uma erecção massiva, entrou num buraco negro, voltou atrás no tempo até ao Antigo Egipto e partiu o nariz à Esfinge. <– Prémio ‘piada mais rebuscada do ano’

André é teoricamente um ser imortal, pois não há madeira suficiente no Universo para lhe construir um caixão.

O Guinness edita anualmente um livro de 1500 páginas dedicado exclusivamente ao Pénis do André.

Sabem quando acontecem aqueles grandes nevões? Bom, é que aquilo, vá, como dizer, não é bem bem neve, é, mmm, ora… Adiante.

O André pergunta sempre a uma rapariga se ela se importa com o tamanho do Pénis. Não pelo facto de ser “pequeno”, é só porque ela se vai importar mesmo..

André já comprou as suas protecções para o hockey. Aquele bunker é tãaaao giro…!

Da próxima vez que surgir um eclipse solar já sabem, nada de alinhamentos celestes ou mariquices do género. Foi apenas o André que se excitou.

Na Pré-História André vivia tempos alvoraçados e o seu pénis andava descontrolado. Coitados dos homens, que se tinham de esconder em cavernas…

André planeou o ataque do 11 de Setembro. Ele não suporta concorrência.
Nem mesmo em miniatura.

O Pénis do André é tão, tão, tão mas tão grande que nem cabe no nariz do Júlio Isidro.

O Pénis do André é a personificação perfeita do cidadão global.

Diz-se que os matemáticos chegaram aos 400 biliões de algarismos no cálculo do valor do Pi. E no cálculo do comprimento do Pénis do André?
Desistiram.

André cumpre presentemente pena por homicídio involuntário, pois entrou numa farmácia e perguntou se havia preservativos para o seu tamanho. A funcionária morreu a rir.

Sabem o filme Palpitações? [Tremors (1990)] Imaginem o resto…
Só uma pequena quote do filme para quem não está mesmo a perceber:
[Earl Bassett and Valentine McKee have just been chased by a 30 foot long monster]
Rhonda LeBeck: Did you notice anything weird a minute ago?

André mudou para sempre a História da Civilização Moderna ao ter derrubado acidentalmente o Muro de Berlim. 

Férias.

Este blog vai entrar de férias até sensivelmente ao início de Setembro. Por férias entende-se, claro, a ausência total de actividade. As razões são muitas e até um pouco estranhas. “Não admira”, dirá quem nos conhece, “esses birrentos”. Mas não, desta vez esta “pausa” não é resultado de mais algum capricho nosso. É, antes, resultado daquilo que a pressão pode causar nos imaturos e incautos: desânimo.

Foi o desânimo que se abateu sobre nós, resultado da pressão imensa que, a certa altura, começámos a colocar sobre os nossos próprios ombros. Quando antes criávamos textos despreocupados com quem estava do outro lado, atingíamos em cada linha o nosso objectivo primordial: divertirmo-nos a nós próprios. E durante bastante tempo conseguimo-lo. Troçávamos até da quantidade de visitas que tínhamos diariamente, sempre baixa. Quando a certa altura começámos a granjear alguma fama e reconhecimento, a nossa atitude mudou. Passámos a ter uma grande preocupação em relação à qualidade dos posts. Já não escrevíamos o que nos vinha à cabeça, não. Ora esta preocupação, que chegou a ter resultados bem positivos, acabou por se revelar exagerada. Caiu uma enorme pressão sobre nós, e acabámos por, no fim, ter um bloqueio criativo geral e uma enorme falta de vontade de voltar a escrever.

Como o fim do blog não é uma solução que nos agrade (e creio que nem a vocês), decidimos fazer esta pausa para, mais tarde, regressarmos em pleno, sem pressões, ao humor que vos diverte a vocês e, principalmente, a nós.

Obrigado, pela atenção e pela paciência.

Os Pura Estupidez

Um dia no Centro de Treinos de Gaia

7.30 – Quaresma acorda.

10.00 – O restante plantel acorda. Quaresma roubou os despertadores.

10.01 – Helton levanta-se e espreguiça-se. Bate em Bruno Moraes no outro lado do dormitório e este lesiona-se num olho.

10.02 – Bruno Alves escorrega da cama e cai ao chão.

10.03 – Bruno Alves faz uma entrada assassina à cama e o quarto desmorona-se.

10.04 – Bruno Moraes lesiona-se.

10.10 – O treino começa.

10.15 – Jesualdo vai ao dormitório procurar por Vítor Baía e Ricardo Costa.

10.16 – Jesualdo Ferreira nem quer saber o que faz Vítor Baía ajoelhado ao pé de Ricardo Costa.

10.20 – Jesualdo manda os jogadores rematar à baliza.

10.21 – Renteria falha um golo isolado.

10.22 – Pinto da Costa suborna Helton para que Renteria possa marcar.

10.23 – Helton sai do Centro de Estágios acompanhado de duas meretrizes.

10.24 – Renteria falha um golo de baliza aberta.

10.25 – Pinto da Costa suborna a baliza para que esta deixe a bola entrar. Duas meretrizes acariciam agora as redes.

10.26 – Renteria consegue mesmo assim falhar. A bola bate no poste.

10.27 – Uma meretriz seduz o poste.

10.28 – Renteria volta a falhar. A bola embate no outro poste.

10.29,001 – Os Super Dragões aproximam-se de Renteria.

10.29,002 – Renteria marca um golaço.

10.38 – Jesualdo manda os jogadores jogarem futebol.

10.39 – Alan pergunta se isso é fixe e se também pode jogar com eles.

10.42 – Quaresma aplica uma cotovelada em P. Assunção.

10.45 – A Comissão Disciplinar da Liga aplica-lhe um sumaríssimo.

10.47 – “Afinal já não há sumaríssimo”, anuncia o Presidente daquele órgão, rodeado de duas desconhecidas morenas.

10.55 – Pinto da Costa casa pela 87ª vez com uma alternadeira brasileira.

10.56 – Pinto da Costa divorcia-se. A alternadeira celebra em antecipação os milhares de livros que vai vender.

11.00 – Jorginho remata a bola. Helton estica-se até à estratosfera para evitar que a bola bata em algum satélite ou destrua o ex-planeta Plutão.

11.06 – Mourinho reafirma que está apaixonado por Pepe.

11.10 – Renteria remata com o guarda-redes na baliza e marca. Toda a cidade do Porto pára e olha estupefacta.

11.11 – Vítor Baía confessa que deixou a bola entrar porque estava a olhar para o rabo do Lisandro Lopez.

11.15 – Alan tenta comer a bola, pois pensa que é um queijo. Bruno Moraes ri às gargalhadas. Bruno Moraes lesiona-se na boca, nos maxilares, na língua e nos abdominais.

11.17 – Ricardo Costa consegue finalmente cortar uma bola. Com uma faca.

11.23 – Pinto da Costa deixa cair uma chamada com Paulo Paraty. Bruno Moraes lesiona-se porque a chamada lhe caiu em cima do pé.

11.30 – Jorge Fucile rouba a bola a Quaresma.

11.31 – Quaresma, furioso, vai chamar ‘us primús e us írmões pá li partirein à bôcá tôdá, cáralhu!’

11.32 – Fucile vai chamar os Super Dragões.

11.33 – Quaresma segue já na A1 a 200 km/h.

11.34 – Os Super Dragões perseguem Quaresma.

11.35 – Quaresma acelera para os 450 e chega a Faro.

11.36 – Os Super Dragões anunciam na rádio que vão fazer ao Quaresma o mesmo que fizeram ao Ricardo Bexiga.

11.37 – Quaresma vence o Rali-Dakar.

11.38 – Bruno Alves faz uma entrada assassina sobre Bruno Moraes. Bruno Moraes morre.

11.40 – Vítor Baía ata o cabelo. Helton é usado como elástico.

11.58 – Sokota ressuscita de uma lesão de 20 meses. Aproxima-se dos colegas, contentíssimo por voltar ao futebol. Cumprimenta Vítor Baía (“Ainda bem que voltaste, estava com saudades desse teu cabelo sedoso“), cumprimenta Bruno Moraes (“Bem-vindo de volta. Não mais estarei sozinho na enfermaria“), cumprimenta Helton (“Porra, lá vou eu ter de fazer de coxa elástica para ti“), cumprimenta Quaresma (“Não, car****,não te vou devolver o MP3″). Cumprimenta Bruno Alves. 50 meses de paragem.

12.14 – Pinto da Costa suborna o tempo para este passar mais depressa.

19.45 – Dá início o jogo do Porto.

19.46 – Paulo Paraty deixa sem querer cair um maço de notas do bolso e um papel a dizer: “Café com Leite hoje no Hotel Atlantis”.

19.58 – Pepe toca com a mão na bola dentro da sua área. O árbitro assinala penalty. A favor do Porto.

19.59 – Lucho González marca o seu 50º golo da época, sendo que todos foram apontados de penalty.

20.09 – Quaresma rouba a bola a um adversário. Literalmente.

20.30 – Paulo Paraty apita para o intervalo. À sua espera, no camarim, está um senhor tãaao parecido com Reinaldo Teles e com uma mala curiosamente tãaao cheia de dinheiro…

21.00 – Um jogador adversário vê Ricardo Costa à sua frente e finta-o com facilidade. Prepara-se para rematar mas…”Vem aí um tanque de guerra! Ah, não, é Bruno Alves!” E foge para a França.

21.02 – Materazzi está neste momento em frente à televisão a rezar a Bruno Alves como seu Mestre e Senhor.

21.15 – Raul Meireles falha um passe. Os Super Dragões abandonam apressadamente o Estádio.

21.16 – Ouve-se uma enorme explosão. Raul Meireles sabe que o seu Alfa Romeo não terá mais aquela bonita cor cinza…O próprio carro agora é cinza.

21.40 – O Porto está empatado e falta um minuto para o fim. Paulo Paraty rima com penalty, e é isso mesmo que ele assinala a favor do Porto.

21.45 – O Porto vence, mas mesmo assim os seus adeptos fazem questão de destruir o carro do treinador.

22.07 – Pinto da Costa fala aos jornalistas e comete a proeza de dizer 56 piada irónicas. É um autêntico recorde. Negativo.

22.17 – Quaresma é entrevistado e rouba o protagonismo aos colegas.

22.18 – Quaresma rouba também o Estádio e as pessoas.

22.19 – Quaresma rouba a cidade do Porto.

22.20 – Bruno Alves faz uma entrada impiedosa sobre Quaresma.

22.21 – As pessoas protestam.

22.22 – Bruno Alves faz uma entrada assassina sobre o Mundo.

22.23 – Deus faz uma entrada assassina sobre Bruno Alves.

22.24 – Bruno Alves vai a voar pelo espaço, mas Helton estica-se e agarra-o.

22.25 – Deus está exausto e senta-se.

22.30 – Ouve-se um barulho de Guerra.

22.31 – “Espartanos!”, grita Bruno Alves.

22.32 –

this-is-porto.jpg

22.33 – Deus chora compulsivamente.

Vendo bem, a Odete Santos até é boa…

O resultado de uma infeliz meia-tarde passada em conjunto. E comentários não são precisos. Há imagens que valem mais que 1000 palavras. No caso destas, era só mesmo uma…PORRA!!!

ena-um-instrumento-que-varre.jpg

abastecimento-iglo.jpg

a-evolucao-das-especies-de-darwin-e-com-josefa.jpg

hey-daddy-theres-a-gay-on-the-street.jpg

eu-sou-um-cao-que-fala-ao.jpg

homo-sapiens-sapiens-sapiens-hiper-evoluidus.jpg

isso-nao-o-aleija.jpg

josefa-um-modelo-de-peso.jpg

joses.jpg

o-trio-dos-4-belos-inclui-a-arvore.jpg

rembrandt.jpg

robalos-e-chernes.jpg

serra-da-estrela-sim-eu-sou-uma-estrela.jpg

sovaco-wash.jpg

tecnologia.jpg

vaginas.jpg

vespaz-e-olegayrio-cozinhando-com-forquilha.jpg

vespez-e-o-patinho-que-nao-tem-bico.jpg

vrum-eu-sou-uma-mota.jpg

E, por último, a primeira e melhor foto, que atesta que realmente não precisamos de extraterrestres, nem de travestis, nem de Super Dragões, nem de qualquer outra aberração para nada, pois já temos os Pura Estupidez:

vespeziano-e-o-kispo-almighty.jpg

Desculpem. É tudo o que tenho a dizer. E também só espero que tenham visto isto de manhã, para terem tempo de irem comprar sedativos para poderem dormir.

Eu sou a única pessoa que…

…Enquanto vê a obra-prima Cartas de Iwo Jima no cinema espera pelas explosões para poder escarafunchar à vontade no balde das pipocas.

…Puxa o autoclismo antes de acabar de urinar apenas por divertimento.

…Vai ao café ver o Benfica envergando calças de pijama (que no entanto se assemelham um tudo-nada a calças de fato treino, razão pela qual esta antítese de humanidade que sou Eu pensou que poderia enganar alguém)

…Se entretem a discernir sobre a conjugação correcta do verbo “Parabenizar” no Pretérito Mais-que-Perfeito do Conjuntivo (e com sucesso :D) aquando de passagens de viatura pela bonita (?) localidade de Meia Via.

…Acaba o post logo no 5º ponto, algo que atesta de modo inefável a sua falta gritante (tipo Ópera) de originalidade.

Esperem, afinal não foi no 5º ponto! Isto são reticências!

Wow! E que ganho eu/os leitores com isso? Nada, a não ser (aos leitores) o prazer da aplicação de força no sentido “leitor/face do Olegário” de modo a criar danos consideráveis e, quiçá, destruir os tecidos cerebrais responsáveis pela escrita e 90% dos responsáveis pela fala e pelo movimento, deixando-me deitado no chão a mexer os polegares e a repetir a cada 3 segundos o vocábulo: “cordoverticalidade“.

Ouch!

Cordoverticalidade…(som de polegares a mexer)  Cordoverticalidade…(som de polegares a mexer) Cordoverticalidade…(som de polegares a mexer) Cordoverticalidade…(som de polegares a mexer) Cordoverticalidade…(som de polegares a mexer) Cordoverticalidade…(som de polegares a mexer)…

Ouch!

Oh, God… He’s back again!

Eu não sou Gay (título de post mais irónico da História)

Boas efectuações de actividades variadas!

Gostaria de aqui fazer um post Relatatório! Uau!

A verdade é que hoje houve um Concurso de Karaoke na escolinha. Leiam apenas:

Dirigi-me ao Polivalente e deparei-me com um aparato de considerável enormidade. Infelizmente, deparei-me também com a Josefa.

“Ena, um concurso de Karaoke… Vamos participar, não é?”

Óbvio. Ridícula, a pergunta, deveras.

“Bora angariar indivíduos dispostos a sujeitarem-se à chacota de cerca de 250 pessoas que por obra do acaso até se dirigiram a este local para verem pessoas a cantar de um modo outro que não a troçar e que serão desfeitadas pela nossa clara inoquidade vocal e propensão para o ridículo?”

“Bora”

Resultado: 9 homossexuais chapados efectuaram a inscrição no majestoso concurso de karaoke. O livro com as músicas disponíveis (não me recordo do nome) foi-nos disponibilizado. A escolha foi deveras rápida e unânime: José Cid – Na Cabana Junto À Praia.

Sim, cantar José Cid está apenas ao alcance dos melhores artistas, exigindo uma entrega total ao espectáculo. Mas foi isso exactamente o que fizemos.

“Agora chamamos o grupo que irá cantar Na Cabana Junto À Praia”

Regojizo. Palmas. Ovações. Os nove cavaleiros magníficos sobem a escadaria de madeira e pisam o palco. Logo observam um leve cheiro a um qualquer sabor.

A música está no ar.

E não, ela não desfeitou a gravidade nem muito menos comprou um avião. A verdade é que nós começámos a cantar!

Haverá palavras para descrever tamanha arte? Não. E é por isso que eu descreverei a actuação com acentos gráficos e afins: ´´´´~´`º~´º~^´º~º´º~´+~´´´´^~º´º´´´

Fantástico.

O público enlouqueceu aquando do final da canção. Até fizeram umas coisas engraçadas com os lábios, como se chamam?…Assobios, é isso! Assim tipo pássaros. Acho que estavam tão emocionados que não conseguiram bater palmas!

E o que dizer da avaliação do júri? Bom, apenas o seguinte: batemos um Recorde!

A mesa era composta por 3 juris. Cada um dava uma nota máxima de 10 pontos e uma mínima de 1. Quantos pontos obtivemos nós no geral? 2.

Um dos elementos prescindiu das normais folhas de pontuação e desenhou uma circunferência numa folha nova. A vermelho. As pessoas disseram que aquilo significava um zero. Deve ser fixe!

No final descemos as escadas de madeira e continuámos a sentir a superioridade em relação aos mortais que experienciámos em cima do palco. O público olhava-nos com as sobrancelhas arqueadas e com o nariz torcido. Devia ser do espanto, da admiração!

Sem dúvida a maior actuação num karaoke da história!

De referir que o grupo cantante teve ainda espaço para a criação de uma situação extremamente engraçada, que não valeu olhares ameaçadores da parte de ninguém.

No meio da multidão, os elementos do grupo todos calados quando…

“GRANADA!!!”

E nós os 9 lançamo-nos na direcção do chão cor-de-rosinha, para logo a seguir nos levantarmos (sim, nós temos um chão cor-de-rosinha…idolatrem-nos lá um pouco, vá…Já chega).

Oh happy day! Yeah!

Até brevitude, compinchas!

Eu gosto de fazer alfinetes de peito

Nasceu um novo Deus. Eu.

Sim, eu sei, a minha inacreditável sensualidade e sublime inteligência já antes permitiam a idolatração, mas agora surgiu um novo dado acerca da minha divindade que vos fará caírem prostrados perante mim a rezar incansavelmente: eu tornei-me ambidextro.

Ei, calma, não comecem já a construir a igreja! Leiam o post primeiro…

Ora muito bem…

A minha nova condição de Deus permite-me dispor de poderes interessantes cuja natureza antes desconhecia, mas que agora uso com despudor e maquiavélico prazer. Um desses poderes é a possibilidade de viajar para o passado e ver com pormenor o que se passou em certos momentos históricos, como a assinatura da rendição do Japão que pôs fim à Segunda Guerra Mundial, a Descoberta do Novo Mundo ou o Meu Próprio Nascimento (os livros dizem que foi às 18.12 no Hospital de Torres Novas, mas eu refuto tal afirmação. Foi às 3.09 na lixeira municipal (isto só para me dar um ar de mártir e lutador operário, para angariar fiéis da esquerda)). Hoje, presenteio-vos com o momento da Última Ceia, narrado por um dos meus padres (leiam-no com pausas e com aquele famoso accent). Este post provavelmente far-me-á ir parar aos calabouços do Vaticano, mas como eu agora sou um Deus não faz mal.

E então nosso Senhor Jesus Cristo pegou o cálice e disse:

…….Quero vinho!

E então nosso senhor Jesus Cristo pegou o pão, partiu-o e deu-o aos seus discípulos dizendo:

– …….Porra, este pão é de ontem!

E então o discípulo João levantou-se de sua cadeira e disse:

Oremos ao senhor…

E então Jesus…

Oremos mas é o cara***, agora ‘tamos a comer!

E então o discípulo Matias disse:

Mas, senhor…

– Cala-me aí o orifício e vem-me efectuar um felácio, que a Maria Madalena ’tá com herpes!

E então todos os discípulos comeram o alimento providenciado por Jesus, e todos regojizaram. E então eu fartei-me de dizer então, e passei a dizer “todavia”.

Todavia Jesus disse:

– Ó, Pshtó! Discípulos!

Todavia os discípulos se calaram e a sala se remeteu ao silêncio.

– Tenho uma revelação para vos fazer: Hoje é a última refeição que tomo convosco.

– Como, senhor?! Não me dizei que a Discípulo Pedro o vai trair…

– Não, nada disso!

– Ah, é o discípulo Marcos…

– Epá, não…

– Já sei! Sou eu! No outro dia lembro-me de ter guardado 3 moedas de ouro enquanto sorria!

– Não, Lucas, isso fui eu que te dei para não contares nada sobre a queca que eu dei com o bonzão do Pôncio Pilatos…

Todavia os discípulos exclamaram em uníssono, cuspindo a jeropiga:

– COMO, SENHOR?!

– Nada, apenas um momentâneo desejo. Como estava a dizer, esta é a última refeição que tomo convosco. A partir de hoje, passarei a comer no Restaurante A Grelha, lá para os lados da Galileia, no qual servem uma sopa que não causa intoxicação alimentar.

Todavia a cozinheira disse:

– Jesus vai passar a comer noutro lugar?! Ó Jahara!…Diz aos hómes que afinal já não são precisos os 6 frangos, os 9 porcos pretos, os 5 kilos de batata e os 734 litros de cerveja para amanhã! Oh, como Deus é grande!

– É grande porque ’tá lá em cima, ó boi-fêmea! Se nos visses lado a lado, reparavas que eu sou mais alto.

Todavia Judas Iscariote surgiu rodeado de romanos e disse:

– Jesus, os romanos ouviram falar de ti e querem dar uma rodadazinha. Estás pronto?

– Ora essa, pois claro que sim!

– Mas antes deixa-me dar-te um beijo na face!

– Pshtó, mete-te na fila! Deves querer levar com o meu pilum!

– Olha que por acaso até nem me importava!

E assim se passou o momento da Última Ceia.

Se algum dos leitores se sentiu ofendido com o conteúdo deste texto, que o diga, e depois que se prepare para que a sua casa seja atingida por um raio (enganei-vos. Afinal não sou um Deus, mas sim o Director da EDP! ABUHUAHAHAHAHA! ABUHUAHAHAHA…COF! COF! COF! Mebocaína, aclara a tua garganta).

Agora que o post está finalizado, podem começar a ir porta-a-porta espalhar a palavra do novo Deus, e aproveitem de igual modo para doar uns euritos para a minha conta, só para ajudar os pobre e tal.

Com os mais divinos cumprimentos…

Estanislau, o Deus Cujo Intelecto e Sensualidade São Deveras Impressivos e Sem Dúvida Alguma Atractivos, o Que Poderá Vir a Revelar-se Uma Vantagem Na Angariação de Adeptos Desta Nova Igreja, Que Se Chama Exactamente “Igreja de Estanislau, o Deus Cujo Intelecto e Sensualidade São Deveras Impressivos e Sem Dúvida Alguma Atractivos, o Que Poderá Vir a Revelar-se Uma Vantagem Na Angariação de Adeptos Desta Nova Igreja”, e Cujos Objectivos São Muitos, Só Que Agora Não Me Lembro E Sinceramente Nem Estou Com Pachorra Para Isso.

Deus Estanislau.

Je m’appelle…Funcionário da EMEL! (em nova e renovada versão!)

Esta semana foi marcada por uma notícia bombástica que abanou as fundações da nossa sociedade. Falo, pois, da decisão do governo de alargar os poderes dos funcionários da EMEL, essa reputadíssima empresa que é nada mais nada menos que a autoridade máxima no nosso país em termos de ultrapassagem do limite máximo de tempo de estacionamento.

Ora bem, logo aqui se constata que estamos perante um problema grave. Discernamos então sobre o que poderá ocorrer quando de facto se nos depararmos com um funcionário da EMEL em fúria perante um pobre rapaz que apenas partiu o parquímetro ao pontapé…

– Rapazola. Sim, vós que fugides de minha ilustre figura e que, como bem visionei, aplicastes uma extensão de joelho a um parquímetro cujo resultado foi a destruição parcial do mesmo. Deslocai-vos para perto de mim.

– Que quereis, pequena cria de uma meretriz de mau nome? Desejais, porventura, que como que por artes mágicas o gatilho da arma que transporto comigo se prima e reduza drasticamente a quantidade de massa encefálica que no vosso crânio se aloja, massa essa que, verdade seja proferida, existe já em quantidades relativamente reduzidas?

– Como vos atreveis, vil criatura concebida fora do matrimónio e em secretismo? Reduzir-vos-ei à mais infíma partícula de pó através dos novos poderes que me foram conferidos pelo Estado! Muahahahahah!

-Não se atreveria, resultado do cruzamento entre um sapo e o Ferro Rodrigues (outro sapo exactamente igual aos dois).

– Coima aplicada no valor de 300 € por danos graves na via pública.

– Não! Pare! AHHH! Estou a arder por dentro!

– Sim, é dos reboques?

– Por favor! Os reboques não! OHHH! O meu pescoço! Está em carne viva!

– E, por fim… ARIUKEN!!!

– AHHHHHHHHHHHHHHHHH…Ei! Segurai os bípedes! A CML não vos providenciou poderes do Street Fighter! Mas que calúnia vinde a existir esta?

Eles andem e eles correm aí.

PS: Este post é só para encher. Reciclei-o porque coiso.

Sanduíche: A eterna tortura do fiambre

Tardes agradáveis.

Há já uma quantidade incomensurável de tempo que meus glóbulos oculares não pausavam a sua estrabiquice e, por momentos, visionamentalizavam o que de novo existia neste local que nada deve aos mais rançosos bordéis do Haiti. Aliás, eles é que lhe devem a ele. Um troco de 2 dólares, quando o Pura Estupidez decidiu divertir-se com uma prostituta de nome Yolanda (nem vou referir o facto de o blog ter, nessa noite, apanhado chatos. E concerteza não referirei deveras o facto de esses chatos serem precisamente os autores desta massa cinzenta cuja cor avermelhada me faz pensar no céu azul pintado com um lápis beige. Ai, eu sou mesmo familiar dos irmãos Dalton…).

Quando volto, deparo-me com uma carta de despedida de Josefa, a Curandeira. Interrogo-me então: “Será que por uma vez os CTT foram eficazes?”

Não, afinal não foram, dado que, passado umas horas, a transsexual mais carcomida na zona do recto de que há memória (e mesmo os doentes de Alzheimer o sabem) voltou para assombrar este blog, inundando-nos com uma teoria de teor legal duvidável. Sim, eu INVENTEI-A PRIMEIRO! Tenho memórias de, com cerca de 7 anos, me questionar o porquê de existirem tão poucas nozes brancas nos cereais Clusters que diariamente deglutia com afinco (e muitas vezes a sujar o babete). Tal facto levou a que as minhas papilas gustativas se rebelassem, pedindo um novo tipo de cereais, pois os Clusters, com aquele adorável koelhinhuh hiper-fufituh coum umah buxexah xuper doxii i k xo mi apitexi mixê, já não eram benvindos ao meu sagrado reino bocal, onde só certos e determinads alimentos tinham permissão para entrar. Para além dos penizes, ’tá claro. Este facto levou-me a passar a comprar as maravilhosas ESTRELITAS, os cereais mais poderosos do universo.

Mas voltando à teoria da Josefa, tenho a dizer que de facto fui eu quem a primeiro inventou, o que nos leva a deparar com um problema que urge ser resolvido (“vamos por partes”, diria Jack, o Estripador).

Mas tudo se vai compor. Eu vou chamar o Mozart.

…   (para quem não sabe, isto são três vacas-macho a pastar)

Para terminar, gostaria de fazer uma referência a Mário, o Castor Mágico, que bateu o recorde de comments consecutivos neste blog: nada mais nada menos do que 12! Parabéns! És um verdadeiro spammer e apetece-me pregar-te o dedo mindinho do pé a uma bicicleta e fazer a Volta a França! Ena!

Ausentar-me-ei até quarta-feira próxima. Neste tempo, aproveitem para se lamentarem do facto de eu não me ausentar mais tempo e também para usarem o vosso talão Continente na aquisição de garrafas de champanhe, para celebrar a dita ausência.

Ora então um grande bem-haja e uma quantidade considerável de Espadarte fluvial.

Gnah!

PS: Já que gostam tanto de comentar, usem a vossa imaginação e digam de que forma vão celebrar a minha ausência. Boa sorte!

Olegary, the Worksman (so fuckin’ gay)

Referendo sobre despenalização do aborto no domingo com chuva

O título deste post é algo de divino. É uma frase que será recordada durante séculos e estudada como um exemplo de como se deve fazer jornalismo inovador. Pertence a um abençoado jornalista do Diário Digital, que eu sinceramente gostaria de conhecer e confraternizar com.

Numa altura em que se discute repetidamente e por todo o país a temática do aborto, surge, em boa hora, uma lufada de ar fresco (sinceramente não sei como é que ele pôs tanto ar numa luva).

No entanto, nem tudo são rosas. Há aqui índices de papoilas e, quem sabe, de samambaia. Suspeito das intenções deste talentoso criador de títulos de notícias (e provavelmente de porcos. Ouve-se muito que os jornalistas mantém porcos a viver em condições desporquianas, não lhes dando inclusivé de comer o necessário refogado de merdinha todas as semanas). A perspicácia e astúcia do jornaleiro levaram-no a distorcer a questão do aborto, transformando-a numa que terá na maioria dos casos a resposta SIM:

“Ó Alzira, hoje quero ir votar. Levo o guarda-chuva?”

“SIM”

Ora, como só os parvos se molham (e por isso é que eu nunca tomo banho), todos responderão SIM a esta indagação, o que tornará o referendo numa esmagadora vitória do SIM por 100% a 0.

Mas voltando ao tema da nossa actividade no tempo do coelhinho grávido de cacau em forma de ovo… Sim, iremos de facto filmar alguns de nós a dizer os melhores posts e colocaremos aqui, inclusivé, sketches, essa bela palavra que por acaso nem é muito bela; é mesmo feia. Ou, vá lá, a sua fealdade provocaria inveja ao Júlio Isidro, que, com o seu portentoso nariz, detém grandes recordes.

Mas agora a sério: hoje é dia de croquetes ao lanche, que é a expressão designatória de: “Mais uma vez, não tenho a mínima originalidade e cá vou eu postar mais um aglomerado de palavras desprovidas de graça/comicidade/50% de desconto com talão Continente”(é incrível como não há um único post em que não refiramos comida ou pelo menos um supermercado. Nós gostamos tanto de comer e, portanto, somos tão obesos, que para nos tirarem uma fotografia têm de o fazer por satélite. Aliás, no outro dia eu tomei a decisão de me levantar. Apoiei todo o meu peso no sofá…fiz força…e a Terra caiu, indo bater contra Júpiter, que, em plena aula de Ioga Celestial, se enfureceu e nos mandou umas quantas luas para cima. E TAU! 50 mil asiáticos pó galheiro).

Já que neste post é só temáticas difusas, lanço mais uma acha para a fogueira (acham que sim?): Quem tem o prepúcio mais sensual? Eu ou a Josefa? Enquanto que o meu prepúcio ostenta um tom rosado e, segundo o Xrofa, um leve aroma a caril, o da Josefa é mais escurinho, sabendo a espetadas no forno com pimentão (não tenho bem a certeza desta parte do pimentão. Ó Joseeeeeefa, anda cá! Não, não precisas de vestir as calças…)

Bah…

Buahahahahahahaha! O primeiro post de sempre começado por um B e nunca ninguém tinha reparado em tal coisa! Mas agora a sério: este post é importante. Principalmente porque tem um título tão longo que muita gente sairá do blog antes de o ler… tchii, pá, pois é! Xau (a escolha inteligenteeeee) Pontapeiem-me lá… Por favor… Nem que seja mentalmente

Momento sério (desculpem, mas tem mesmo de ser. Eu prometo que não dói nada)

Há cerca de uma semana, uma bolada na aula de Educação Física provocou-me uma dor no terceiro dedo da mão esquerda, que se entortou num ângulo jeitoso. Dirijo-me ao hospital e sou atendido após uma tarde inteira deespera (mas nem entremos por aí, porque ainda me faço explodir para aqui todo e vocês não querem isso… Ou, vá, querem, mas eu não). A doutora ortopedista comunica-me que necessito de ser operado ao dedo, na medida em que saltou um fragmento de osso e bá-bá-bá (bete). Dois dias passados, sou operado ao malogrado dedo (após estar um total de 9 horas esperando e fazendo planos mais ou menos maquiavélicos para que o intestino dos enfermeiros homossexuais que por ali se passeavam fosse parar a um qualquer outro hospital…na Roménia, vá). Acordo, ainda meio atordoado pela anestesia, e, olhando para o sinistrado, a minha pele enbranquece e quase colapso. Tinha um PREGO enfiado no dedo! Mas rapidamente me habituei a isso, já que quando o paracetamol parou de actuar, vieram as dores e quase que a minha sanidade mental desapareceu (por mais baixa que ela já fosse). Como sou um indivíduo pouco sério, decidi logo prescrutar utilizações para o meu pedaço de metal de estimação. Muito melhor, os elementos todos do Pura Estupidez visitaram-me no meu período de convalescença e logo uma torrente delas surgiu, como o pus fluía dos ouvidos da bébé com otite que se encontrava a meu lado no hospital (sim, eu fui para a ala infantil com 15 anos… Como prevejo que todos me quererão gozar, peço-vos que o façam por comment… Vamos bater um record. Não do blog, mas de toda a Internet!) Como este estúpido texto italiano já se está a alongar demais, tanto que daqui a pouco tem a elasticidade do orifício anal da Josefa(e olhem que eu sei do que estou a falar!), passemos então ao interessante.

09022007002.jpg09022007.jpg

Apesar da fraca qualidade das fotos, denota-se o pedacinho de metal espetado. De referir que foram tiradas hoje à hora de almoço por trás do LIDL, o que lhes aumenta exponencialmente o valor de mercado. Como prometido, eis finalmente as utilizações:

  1. Instrumento para comer caracóis . A primeira e a mais difundida utilização. Sugerida por uma enfermeira de 40 anos!
  2. Arrombador de fechaduras . Sou um mauzão.
  3. Saca-rolhas . Creio que estou a iniciar o fim do negócio destes inúteis objectos. Vivam os pedaços de metal espetados no dedo que causam dores incríveis!
  4. Pára-raios . Os professores têm dito que eu ando muito eléctrico. Não sei porque será…
  5. Antena de Rádio . Pondo o dedo no ar, uma pafernália de estações põe-se-me à disposição, bastando-me apenas rodar o polegar para escolher uma que me agrade. Ora cá vai: “…Antena 1, Desporto… E vai Peçanha com a bola controlada…é incrível como… BZMZBZMBZM Oceano Pacífico… BMZMZMZM RFM. Só grandes músicas! BMZMZMZMZ OHHHH! NÃO MACHUQUE! SIM, MAIS, MAIS FORTE, MAI…” (blasfémia, isto também sintoniza televisão)
  6. Uma coisa qualquer para a diabetes . Um indivíduo lá da escola tentou descortinar sobre a verdadeira razão de eu ter este prego enfiado no dedo… Enfim.
  7. Canivete Suiço . Um canivete xrofiano! Funahahahaha!
  8. Helicóptero do Inspector Gadget . Comentários? Também acho que não.
  9. Agulha de Acupunctura . Tenho aqui mais uma soberana oportunidade de massajar homens nus… Ups!
  10. Florete de Esgrima . Sou já o campeão olímpico virtual. E não, não passei o jogo na Playstation. Enquanto que os adversários possuem umas espadalhorras que parecem os dedos da Josefa, eu luto com um pedaço de metal com pouco mais de um centímetro. Faço-me de coitadinho, choro, e, quando eles se aproximarem… TAU! Um olho pó galheiro!
  11. Máquina de fazer picotados . Mais uma vez, Olegário a privilegiar o desenvolvimento da indústria em Portugal, ou não fosse ele um operário prestigiado. Bravo!
  12. Apanhador de folhas do chão . Chegarei a técnico de superfície chefe enquanto o Diabo retira um demónio do nariz.
  13. Furador de Orelhas e Tatuador . Estúpido.
  14. Desentupidor de Sanitas de Ratos . Isto já começa a ser um pouco forçado.
  15. Pendurador de Casacos de Ratos . Chega, a sério…
  16. Desenhador de Paredes de Ratos . OK, és muito engraçado, mas podias parar com isso, na medida em que…
  17. Objecto de Utilizações Variáveis . CALA-TE, CATANO!
  18. O Olegário é nabo… E tu és uma mera couve semi-comida por minhocas aéreas.
  19. Deves querer que te aperte o dedo, ou o catano. Até guinchas… Atreve-te.
  20. AGHHHHHHHHHHHHHHHHHH!