Monthly Archives: Junho 2007

Lairailairailai!!!pling pling…tuqui tuqui. Vrás Vrás!

Ora dias mais ou menos engraçados para todos.

Ontem foi quarta-feira ao que, sendo que estou de férias, este foi um dia bastante normal (estou apenas a falar do dia, ou seja, parte do dia em que o sol brilha as plantinhas dançam e os patos escavam a areia). A noite desta mesma quara-feira foi algo de absolutamente fabuloso. E é agora que passo a descrever:

Eram 21:30. Por esta altura estou eu a sair de minha casa ainda com as mãos a passear pelo cabelo com o intuito de descortinar alguma forma de este se poder inserir no campo de “penteado”. Passados 3 minutos e 21 segundos chego a casa do Flip (Véspaz) e toco á campainha. Oiço a sua melodiosa voz a informar-me que estava a descer nesse momento.
10 minutos passam e eu continuo sentado á sua porta. Olho para trás e observo uma silhueta bem “máscula” com um saco do lixo ás costas a descer as escadas. “Ó minha besta, cum catano!!!” exclamo. Ambos vamos, decididamente para a zona Sul do Entroncamento, juntamente com dois indivíduos cujos nomes não irei referir (Valter e Xico).

Após uma bela viagem chegamos ao recinto onde se iria realizar o acontecimento do ano e, quem sabe, da semana.

Dispersamo-nos do grupo (eu e Véspaz) e dirigimo-nos para o palco que se encontrava ao fundo.

Ao chegar juntámos-nos a certos Josés que lá se encontravam encostados às grades.

As luzes acendem e o génio aparece. José Cid está presente nos campos de visão de centenas de pessoas.

Completa loucura. Saltos, gritos, ondas, movimentos apenas assemelhados a uma dança de uma qualquer tribo sul-americana, devil horns no ar, croud-surfing, cotoveladas lançadas por alguém a uma qualquer pessoa…”possas”.

Haviam inclusivé cartazes bem “catitas” feitos por nossos colegas que mostravam frases como: “Leva-me prá cabana” , “Dá-me favas c/ chouriço” e “Dá-me a tua piruca”. Assim como um conjunto de sete cartazes com as letras : “J”, “O”, “S”, “É”, “C”, …e o resto não me lembro mas penso ter sido engraçado.

A inutilidade destes cartazes foi verificada quando alguém reparou que o grande José estava a cantar de olhos fechados.

Quando acabou a segunda música consegui observar algo de fenomenal: José Cid chega seu “micro” para o lado e ao mexer nos seus genitais diz algo como “Epá to com uma comichão nos culh**s, cara***”. Brilhante!

Ao aproximar da quarta “faixa” José sentado ao seu piano alcança uma garrafa cujo rótulo mostrava a seguinte palavra: “Macieira”. Dá um gole na sua bebida e continua alegremente a entoar suas cantigas.

Foi um belo concerto que me fez estar bastante dorido hoje.

Mas não acabou.

O melhor ainda estava para vir.
Assim que José saiu do palco,eu, assim como dezenas de pessoas, fomos lá para trás para perto das caravanas na esperança de ver o senhor José.

Uma senhora vem ter connosco para dizer que, se com ordem e a pares, poderiamos entrar no camarim para falar e pedir autografos. Delírio!

Eu e Eduardo (talvez o conheçam por lapas se costumam ler comments) entrámos extremamente felizes para trocar algumas palavras com o José.

– Grande Cid!!Tudo bem?! – disse eu

– Oi – disse ele

Pedimos para nos tirarem uma foto, fizemos pose e cá está:

21-06-07_0003.jpg

Após Pedimos um Autógrafo e aqui está o resultado:

21-06-07_0004.jpg

Penso que não serão necessárias mais palavras. A não ser que assim que afiar as facas poderão ir ao eBay comprar um pedaço do meu braço.

Adeus e portem-se +/-.

Anúncios

A primeira pessoa a perceber esta frase leva um beijinho. Ou não.

E passa a ser meu filho.

Especulem nos comments…

I am Α and Ω. Who am I?

Ah!!um post, um post!!! (pang!) …maldito sentido proibido.

São 2:00 da madrugada. Todos dormem. Sem sono levanto-me da cama lutando com os lençois que a mim se enrolavam.
Levanto-me, “quero dormir!”, exclamo.
Cambaleio até à cozinha, pego num copo, encosto-o a um orificio na porta do frigorifico . Oiço a água a correr…
De um só trago saceio a minha sede.
Ao sair dou um chuto numa cadeira, que cai, digo algo como: “Ahhh!!”, caio no chão, bato com a cabeça numa gaveta e profiro um par de impropérios.

Hoje descobri algo que revolucionará a vida de todos os habitantes de Valhelhas até ao ano de 2017.

Boa-Morte, jogador do Fulham e ex-jogador da selecção, é, sem qualquer dúvida, o Demo.

Sei isto pois hoje de manhã ao olhar para os céus vi uma nuvem em forma de snoopy. Chamem-lhe coincidência. Mas eu não sou parvo.

E perguntam voçês: “Porquê Boa-Morte?”.
Este senhor nunca se chamou Boa-Morte, o seu nome sempre foi Luis Costa Pinto, mas ao ser confrontado com os seus directores de marketing achou que assim deveria seria ser chamado (quem não percebeu esta pseudo-piada que morra, depois o Demo explica).

E depois ainda me interrompem nas aulas dizendo coisas como ” ès muita parvo!” e “Estúpido és tu”. Quem está mal sois vós. Por não verem ao ponto de estarem cegos. Muahahahah!

Bem vou mas é contar ovelhas: uma ovelha, duas ovelhas, tres ovelhas, quatro ovelhas…olha um pastor..eheh…ele está a tirar as calças…ó não!!..não faça isso, senhor pastor…SHEEP RAPIST!!!

NEWS: Tortura é ineficiente!

Após várias horas de tortura aos outros membros do blog consegui extrair esta informação: “Aaarrrgggg, essa merda doí!”

 

 

Depois perguntei educadamente e eles disseram que as pesquisas aparecem para semana que há de vir.